O fantasmas do desemprego e do subemprego continuam assombrando o mercado de trabalho goiano. A taxa de desocupação voltou a crescer em Goiás no quarto trimestre do ano passado, atingindo 10,4% da população ativa, contra 8,2% nos três últimos meses de 2018. Ao mesmo tempo, a taxa de informalidade, que inclui os trabalhadores sem carteira e sem CNPJ, também foi recorde p...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários