A reportagem encontrou duas pessoas de Angola que se recordam de Rogério Cruz, não como executivo da Record, mas como pastor da Iurd.O tecladista e DJ Sansão Lisboa, de Luanda, diz que lembra de Rogério como um “bom pastor pelo zelo que tinha com as pessoas”. “Eu, por exemplo, cresci muito porque ele acreditava (que a gente) podia fazer sempre mais do que já sabia ...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS

Navegue pelo assunto:

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários