ARQUIVOS
Arquivos de Fevereiro, 2017

FolhaPress

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

(Carol Almeida)

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Fabiana Pulcineli

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Caio Henrique Salgado

caio.salgado@opopular.com.br
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Clenon Ferreira

clenon.ferreira@opopular.com.br
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Tenho rareado as visitas ao cabeleireiro. Neste ano que há pouco se foi sem deixar saudade, apesar das malcriações já patrocinadas por 2017, foram cinco aparições no salão. É um lugar bacana, destes onde, além da tosa cuidadosamente esculpida por sujeitos barbudos e de braços cobertos por tatuagens, é possível comprar cerveja com notas de caramelo e até moto falsamente vintage. Não merece meu afastamento assim, tão dramático.

Promovo um esforço de certa forma leviano para que essas ausências sejam interpretadas como estratégia para o cultivo de cachos. Deixo o cabelo se avolumar logo acima das orelhas e só volto à tesoura quando, ao me olhar no espelho pela manhã, me ocorre o Bozo, aquele palhaço do SBT. Este fenômeno, levando em conta a atual fertilidade do meu couro cabeludo, se completa em ciclos de três meses.

A grandeza de um problema está mais na nossa cabeça do que do lado de fora.Pode soar investimento no estilo circense de se pentear, mas a verdade, incontrolável como fios compridos ao vento, é que tenho evitado o salão por razões estritamente psicológicas. Desenvolvi uma fobia pelo espelho empunhado pelo cabeleireiro ao fim do trabalho, para permitir a inspeção do corte. É nesse instante comezinho para alguém em busca de aprovação profissional que me defronto com a mais eloquente manifestação de decadência física. Uma verdade implacável se revela.

Bem no meio do crânio, epicentro de um antigo redemoinho de cabeleira hirsuta, uma calvície de padre amplia o diâmetro de forma despudorada a cada nova visita ao cabeleireiro hipster. Não se trata de um processo recente, este. Quase uma década atrás, joguei o pescoço para trás e, acidentalmente, toquei uma parede gelada pelo inverno do Sul. O calafrio que senti por encostar uma pele nua foi muito mais pungente do que a dor do choque involuntário contra o concreto. Eram os primeiros fios desertores, que já me expunham às intempéries do clima e do juízo alheio.

Aliás, a calvície que me assalta tem um quê de crueldade justamente por permitir ser contemplada às minhas costas. Se ainda fosse daquelas que avançam testa acima, meu raio de visão poderia intimidar maledicências em tempo real. Mas, do jeito que se instalou, sinto-me miseravelmente apunhalado. E revivo o dilema do cronista Antonio Prata, filho do Mario (sim, aquele), que decidiu tomar comprimidos para combater a queda de cabelo a despeito do risco de impotência como efeito colateral. Para Prata, melhor um constrangimento privado do que um público. Achei sábio e invejo-o a coragem.

Mas entre os escombros de uma tragédia há consolos a serem resgatados. A ascensão da minha careca, por exemplo, não arranha minha reputação no Feicebúqui. Discreta, se avoluma longe do ângulo capturado pelas selfies, de modo que, publicamente, sigo visto como um sujeito cabeludo e sorridente. Poderia ser pior, pois.

Talvez agora, neste 2017, eu precise visitar mais o barbeiro barbudo e tatuado. Não só pela manutenção da imagem de asseio, tão valorizada nas relações cosméticas, mas pela metáfora didática que me é ofertada cada vez que me defronto com o espelhinho fatídico ao final do corte.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

O DJ Múcio e Clara Magalhães estavam na festa (Foto: Sebastião Nogueira)
Camila Arimatéa e Daniel Amurim também foram ao restaurante (Foto: Sebastião Nogueira)
Bruno Alves e Isa Mendes se divertiram na festa Black Friday, que teve como palco o restaurante Mr. Jones (Foto: Sebastião Nogueira)
O galerista PX Silveira, coordenador da comissão organizadora do centenário do artista frei Nazareno Confaloni, e Wolmir Therezio Amado, reitor da PUC Goiás, abriram a exposição Centenário Confaloni, na Galeria PUC (Foto: Ana Paula Abrão)
(Foto: Weimer Carvalho)
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários

O deputado Francisco de Oliveira (PSDB), que a partir de hoje será o novo líder do Governo na Assembleia, afirma que a base governista deverá passar por mudanças até a eleição de 2018. “O governador Marconi Perillo (PSDB) vai imprimir um processo de remodelação e renovação no Estado, com alterações pontuais, que vão sinalizar também as mudanças na nossa base”, diz. O tucano (chamado pelos colegas de Chiquinho) afirma que são 27 deputados estaduais fiéis - embora a bancada governista seja composta por 31 dos 41 parlamentares na Assembleia. O novo líder do Governo afirma que no reinício dos trabalhos do Legislativo, a partir da segunda quinzena deste mês, serão colocados em tramitação os projetos da PEC dos gastos do Estado, do novo modelo que vai substituir as 40 subsecretarias de Educação extintas e o que pretende implantar o ICMS Educacional. “A nossa base estará unida e a oposição certamente desempenhará seu trabalho, mas de forma muito respeitosa”, afirma.

É oficial?

O deputado Talles Barreto (PSDB) diz que é surpresa a notícia de que o colega Francisco Oliveira (PSDB) foi escolhido novo líder do Governo, cargo que ele também pleiteava: “Não há nada oficial.”

Compensações

De um deputado governista: “Como Chiquinho Oliveira não conseguiu a presidência da Assembleia, foi compensado com a liderança do Governo, que agora terá de compensar Talles Barreto.”

Um ou outro

Os deputados Gustavo Sebba (PSDB) e Jean Carlos (PHS) fizeram acordo pela presidência da influente CCJ da Assembleia, também disputada pelo colega Simeyzon Silveira (PSC).

Reduzir recesso

Líder do PMDB na Assembleia, José Nelto cobra que a bancada governista desengavete o projeto que reduz o recesso na Assembleia para 55 dias ao ano. “É uma vergonha só voltarmos a ter sessão no dia 15 de fevereiro”, critica.

Sob investigação

A Câmara de Goiânia ensaia criar CEI para investigar as contas da Prefeitura de Goiânia, algo que o Ministério Público já faz há dois anos. A promotora Leila Maria diz que todos os documentos solicitados foram entregues e aguardam parecer técnico para embasar possível ação. A denúncia de que haveria fraudes no Paço foi do ex-secretário de Finanças, Cairo Peixoto.

Jogos vetados

O governo decidiu proibir a realização de clássicos do futebol goiano no novo Estádio Olímpico. Cita exatamente os jogos entre os times Goiás, Vila Nova, Atlético Goianiense e Goiânia. A medida, segundo a Agetop, é de precaução para preservar o estádio até a assinatura, na primeira quinzena de março, para a gestão compartilhada da praça esportiva com a UEG.

Perigo nas rodovias

A PRF flagrou, só no mês passado, 20 motoristas com CNHs falsas nas rodovias federais em Goiás, inclusive dirigindo veículos pesados. Todos os casos foram encaminhados à Polícia Civil.

Célio Silveira

Deputado do PSDB

Fotolegenda

(Foto: Divino Luiz)

Abraço - O secretário estadual e presidente do PSD goiano, Vilmar Rocha, esteve ontem com o prefeito Iris Rezende (PMDB). Contaram histórias, trocaram elogios e falaram de projetos para a Região Metropolitana.

Pergunta para: Célio Silveira | Deputado do PSDB

Qual as chances de Jovair Arantes (PTB) ser eleito presidente da Câmara dos Deputados?

As chances de Jovair cresceram uns 60% com a decisão do PT de não apoiar a candidatura de Rodrigo Maia (DEM-RJ), que é inconstitucional e será questionada no STF. A eleição na Câmara dos Deputados nesta quinta-feira será em segundo turno e o voto é secreto, o que aumenta também as chances de termos um goiano no comando da Casa.

 

Arremate

Cautela - O governador Marconi só deve bater o martelo sobre as obras e projetos que serão bancados com a venda da Celg D depois que os R$ 800 milhões estiverem na conta do Estado.

Tucanaram - Os prefeitos Paulo Sérgio (DEM), de Hidrolândia, e Lacerda (Pros), de Sítio D’Abadia, se filiaram ontem ao PSDB. Paulo concorre à presidência da AGM.

Encontro - O governador Marconi e o prefeito Iris estarão novamente juntos hoje. Às 16 horas, na posse do desembargador Gilberto Marques Filho na presidência do Tribunal de Justiça.

Resposta - A Prefeitura informa que equipe de auditores fiscais foi até o Parque Vaca Brava e notificou ambulantes, mostrados aqui ontem, para que desobstruam o passeio público.

Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários