O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso desde o início de abril, segue liderando em Goiás a disputa à Presidência da República, com 29,2% das intenções de voto na terceira rodada da pesquisa Serpes/O POPULAR realizada entre os dias 6 e 10 de agosto. O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) é o segundo colocado, com 23,6%. Todos os demais nomes têm apenas um dígito.

A ex-senadora Marina Silva (Rede) aparece com 7,1%. O ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles (MDB), que é goiano, tem 5,7% e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), 5,2%. O ex-governador Ciro Gomes (PDT) registra 4,7% e o senador Álvaro Dias (Podemos), 1,1%.

Lula, Bolsonaro e Marina tiveram oscilações positivas em relação à rodada anterior, de junho. O petista tinha 27,6% das intenções de voto contra 20,1% e 5,7%, respectivamente. Meirelles aparecia com 5,5%, Ciro com 5,2% e Alckmin tinha apenas 2,9%. Neste intervalo, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB), candidato ao Senado, assumiu a coordenação nacional da campanha do presidenciável tucano.

Assim como apontam as pesquisas nacionais, Bolsonaro tem em Goiás uma preferência muito maior entre homens do que mulheres. Ele alcança 31% no Estado junto ao eleitorado masculino, à frente de Lula, que tem 27,9%. Já no universo feminino, ele registra apenas 16,8%, enquanto o petista chega a 30,5%.

No primeiro cenário estimulado, são indicados 14 nomes, incluindo de Manuela d’Ávila (PCdoB), que só anunciou desistência após o registro da pesquisa.

Em outro cenário, a pesquisa Serpes excluiu o nome de Lula e incluiu “candidato do PT”. Isso ocorreu antes de o partido anunciar que o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad seria vice do ex-presidente. No levantamento sem Lula, Bolsonaro lidera em Goiás com 26% e Marina fica com 10,9%. Ciro e Meirelles ficam em terceiro, com 7%, cada um. Alckmin teria 6,7% e o nome petista, 4,6%.

Na pesquisa espontânea, em que os nomes não são apresentados ao eleitor, Bolsonaro e Lula aparecem em empate técnico, mas com vantagem para o deputado: 19,4% a 18,5%. O índice de indecisos é de 41,7%. Todos os demais sete nomes citados alcançam menos de 3%.

Rejeição

No levantamento de rejeição, um terço (33,3%) dos goianos afirmam que não votariam de jeito algum em Lula. A resistência a Bolsonaro é de 27,3%. Alckmin fica em terceiro, com 18%, e Marina e Ciro Gomes se aproximam, com 16,9% e 16,5%. A rejeição a Meirelles é de 13,2%.

Na rodada anterior, a resistência a Lula era de 34,6% e a Bolsonaro, 24,5%.