Desestimulados pela má qualidade do transporte coletivo, os passageiros têm migrado cada vez em maior número para outras alternativas de locomoção. Reportagem nesta edição mostra que o total de viagens em ônibus públicos vêm caindo ano a ano.

Desde 2013, quando foram realizadas manifestações em todo o País contra o reajuste de tarifas e reivindicando melhorias no transporte, o número de usuários caiu mais de 35%, passando de 227 milhões ao ano para 145,9 milhões. No mesmo período, a frota de veículos particulares aumentou em mais de 18%. Os dados demonstram com clareza a insatisfação da população com a qualidade do transporte público, o que acaba resultando em outros problemas para a cidade, como congestionamento, violência no trânsito, impermeabilização para abertura de vias e falta de estacionamento. A deficiência se arrasta há décadas sem solução, o que leva a capital a caminhar na contramão de outras grandes cidades do mundo que desincentivam os meios de locomoção individuais. As cidades da região metropolitana crescem, a população aumenta e os problemas se agravam. Retardar a tomada de medidas é como jogar combustível na fogueira.