Goiás obteve um recorde de comércio exterior. Ao fechar agosto com US$ 768,9 milhões exportados pelas empresas goianas, o volume total de negócios no ano acumula US$ 5,2 bilhões, uma marca igualmente histórica nos oito primeiros meses do ano. A projeção para 2018 é chegar aos US$ 7 bilhões exportados.

Com o dólar em alta, as importações desaceleraram. O saldo da balança comercial já soma US$ 2,8 bilhões no ano, outro recorde para o período. Os produtos mais exportados pelas empresas do Estado continuam sendo o complexo soja, as carnes, principalmente a bovina, minérios, o complexo milho e o açúcar. Ao todo, foram 210 produtos diferentes, endereçados a 87 países. Mas apenas a China representou 43% dessas compras.

A boa notícia é que esse desempenho não se deu apenas pela vantagem cambial. O peso líquido das exportações também registrou um valor recorde para o período: 8,7 bilhões de toneladas de janeiro a agosto, um aumento de 7,2% sobre o volume exportado no mesmo período de 2017.

A expectativa é de que os embarques sigam em boa movimentação nos próximos meses, criando uma atmosfera de otimismo, em que pese as instabilidades no campo político.