Os acontecimentos dentro da casa mais vigiada do Brasil fizeram subir a temperatura nas redes sociais. “Racismo e intolerância religiosa não vamos admitir.” “BBB é diversão, jogo, atitude, alegria, provas e até tretas. Isso está feio e dá embrulho no estômago.” “É um show de racismo, homofobia e machismo.” Essas são alguns dos comentários no Twitter. “É uma reação coletiva que entende que o mundo sem racismo é melhor para todo mundo. Mas, nem sempre, o avanço dessa consciência é uma adesão a uma pauta. Olho com esperança, ainda que seja um espectro político”, diz a professora de história da África Janira Sondré.

Integrante da Rede Goiana de Mulheres Negras, Manoela Augusta da Silva afirma que a polêmica de alguma forma é válida por levantar um debate. “É horrível o que está acontecendo, mas, por outro lado, isso fomenta uma discussão que às vezes fica morta e que as pessoas não querem fazer”, destaca. E complementa. “Esse tipo de fala no programa vem de toda uma construção que traz, de forma lúdica e não lúdica, essa característica que tudo que é preto é ruim, caso das nossas religiões, do nosso cabelo, a forma como a gente se porta. Como tem gente confinada por muito tempo, não tem como ficar de máscara o tempo todo.”