Em 1983, quando a filha caçula da escritora Ana Maria Machado nasceu, ela, já uma importante escritora de obras infantojuvenis, decidiu se dedicar a um trabalho em que a presença de um amigo imaginário rompia a solidão de um menino que era filho único. Sua inspiração veio da recepção que sua filha mais nova recebeu por parte dos irmãos mais velhos. Para isso, ...
Faça o seu cadastro e acesse até 05 matérias exclusivas por mês gratuitamente.
ou
Aproveite todo o conteúdo do site de forma ilimitada!
Assine O Popular!
QUERO SER ASSINANTE
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários