Em sua estreia como diretor, John Carroll Lynch, conhecido como um dos mais populares coadjuvantes de Hollywood, assina um tributo à arte de Harry D. Stanton, morto em setembro passado. No longa, o ator interpreta velho ateu personagem-título de Lucky, que depois de fumar por muito mais tempo que todos os seus conterrâneos, está no fim de seus dias, apenas esperando a morte. Vivendo em uma cidade no deserto, ele inicia sua última atividade antes de partir: se conhecer para enfim encontrar iluminação. É possível que a jornada espiritual tenha sido percorrida pelo próprio Harry D. Stanton, já que a trama foi seu último trabalho. Visto como uma carta de amor à vida pela crítica especializada, a produção de Carroll Lynch abusa de uma fotografia limpa e emotiva em meio a um universo rude de paisagens desérticas. Na mostra, será exibido hoje, às 23 horas e na segunda-feira, às 20h15.