Magazine

Curta goiano sobre Césio 137 é premiado na Alemanha

A produção acompanha a trajetória de uma avó e sua neta que estão de mudança da casa onde vivem no Centro de Goiânia, ao lado do lote cimentado na Rua 57, onde ocorreu o acidente radiológico

Cena filmada em frente ao lote onde ocorreu o rompimento da cápsula de césio 137, no Centro de Goiânia
Leonardo Ximenes
Diretor do filme, Benedito Ferreira

O curta-metragem goiano Algo que Fica, dirigido por Benedito Ferreira, foi premiado no último domingo (15) no Uranium Film Festival, em Berlim (Alemanha). 

Em clima de mistério, a produção de 23 minutos acompanha a trajetória de uma avó e sua neta que estão de mudança da casa onde vivem no Centro de Goiânia, ao lado do lote cimentado na Rua 57, onde ocorreu o acidente radiológico. Em breve a casa será demolida para a construção de um museu. Enquanto isso, uma estranha presença orbita entre as personagens interpretadas pelas atrizes Maria Sisterolli e Larissa Sisterolli, avó e neta também na vida real.

Outra produção premiada foi Bons Baisers de Moruroa, do francês Larbi Benchiha, que mostra o impacto dos testes com bombas nucleares conduzidos pelo governo da França no Atol Moruroa.

Exposição itinerante

Uma exposição de fotos históricas sobre a tragédia envolvendo o césio 137 vai viajar pela Alemanha. As imagens foram organizadas pelos curadores do festival e, segundo agências internacionais, devem passar por escolas, universidades e institutos.

Sobre o festival

Iniciado no Brasil há sete anos, o festival chama a atenção para os riscos da cadeia nuclear.

Não informado
Maria Sisterolli vive uma avó que mora ao lado do terreno do acidente
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.