Magazine

Jogo da discórdia aquece os ânimos na casa do BBB 18

Brincadeira deixou confinados ainda mais tensos faltando poucas horas para a eliminação

Reprodução/TV Globo

Na noite de ontem (12), o apresentador Tiago Leifert jogou lenha na fogueira ao anunciar o Jogo da Discórdia. Segundo as regras, cada brother deveria escolher uma carta com um adjetivo e atribuir a um colega da casa. Em seguida, os outros confinados opinavam se concordavam ou não com aquela escolha.

E o jogo seguiu da seguinte forma: Caruso atribuiu a placa de “falso” a Mahmoud, Gleici deu uma placa de “mala” a Caruso, Paula deu carta de “falsiane” a Diego, Ayrton deu uma placa de “leva e traz” a Ana Paula, Lucas opinou que Ana Paula era uma “planta”, Wagner ganhou de Jéssica o título de “calculista”.

Depois da “brincadeira”, coube à galera tirar satisfação sobre algumas placas. Caruso foi atrás de Mahmoud e tentou explicar ao sexólogo o motivo de tê-lo escolhido como falso: “Eu coloquei falso porque, depois da votação, ouvi muito zumzumzum”.

Na área externa, o assunto era Ana Paula.  "Ela é covarde. Tem três semanas que eu estou chamando para conversar e ela nunca quer", disparou Mahmoud para Breno  e Jéssica.

Kaysar tenta consolar Ana Paula no sofá e a sister desabafou: "Eu não tenho culpa das coisas. Eu não consigo conversar com eles, eu não consigo fazer nada. O Mahmoud pegou algumas coisas que eu disse e distorceu, eu não tenho mais o que falar com ele. Eu fui lá e pedi desculpas para ele, o que mais que eu tenho que fazer?", indagou.

Lucas e Patrícia discutiram sobre a decisão do “príncipe” dar a placa de “planta” para Ana Paula: “É uma bobeira! [Ana Paula] Só fica dentro do quarto”. O brother fica irritado ao acreditar que Patrícia não está prestando atenção na conversa dele, e reclama: “Você não está nem olhando para mim”. A sister rebate: “Tá louco! Eu estou esquentando o feijão!”.

Na cozinha, Caruso reclamou da brincadeira do Jogo da Discórdia. "Falta de comprometimento. Joga o papo reto, meu irmão", disse. Ele segue falando sobre isso, quando Nayara chega ao cômodo. "Você tá bravo!", fala a sister para Wagner. "Leva e traz é pesado, mano", responde o paranaense. Nayara disse que não tinha para quem dar sua placa. "Então, não tem comprometimento, mano. Em que mundo vocês vivem?", reagiu Carudo.

A paulista tenta explicar seu ponto de vista e Wagner a encara, sério. "Acho que faltou um pouco de frieza aí. Eu não sou leva e traz por natureza", defendeu-se Wagner. Ela pediu desculpas se ele se sentiu exposto e voltou a justificar sua escolha. "Achei que, com você, o problema seria menor", acrescentou Nayara.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.