A ciclista goiana Márcia Fernandes, de 27 anos, sofreu acidente enquanto treinava na manhã de terça-feira, na BR-153. A atleta teve fratura no cotovelo do braço esquerdo e terá de passar por procedimento cirúrgico. Esse não é o primeiro caso de acidentes com atletas do ciclismo durante treinamentos em rodovias goianas.

Campeã brasileira em 2014, Márcia Fernandes é a irmã mais nova do clã das Fernandes, família tradicional do ciclismo do Estado. A atleta seguia pela BR-153, em local próximo ao Serra Dourada, quando sentiu o impacto de um caminhão batendo do lado esquerdo do seu corpo.

“Eu estava na faixa branca e só senti a pancada do caminhão no meu ombro e na manete da bicicleta. Eu perdi o equilíbrio e caí. Graças a Deus que caí para o lado direito, pois se tivesse caído para lado esquerdo não estaria aqui para contar a história”, relatou Márcia Fernandes.

A ciclista reclamou da falta de estrutura que os ciclistas têm para realizar seus treinos. Márcia Fernandes estava em preparação para uma competição nacional que será realizada no próximo mês.

Em 2013, Clemilda Fernandes, irmã de Márcia, sofreu acidente em trecho próximo quando fazia o trajeto para chegar à GO-020 e se chocou com um veículo. Há dois anos, a ciclista voltou a se acidentar enquanto treinava, desta vez na GO-080, em trecho entre Goiânia e Nerópolis.

“Faço esporte porque gosto e represento meu País sempre muito bem. Aqui as pessoas te atropelam e te jogam longe como se fosse um animal, não param nem para ver se você sobreviveu”, reclamou Clemilda Fernandes.

Clemilda Fernandes explicou que o condutor do caminhão que teria derrubado sua irmã não parou para prestar socorro. Por isso, a ciclista afirmou que vai registrar uma ocorrência policial e espera que o motorista seja identificado. “Esse cara tem de ser procurado, existem câmeras, precisamos ver no horário”, frisou.

Após o acidente, Márcia Fernandes se dirigiu a uma unidade de saúde em Senador Canedo, de onde foi transferia para o Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa). A ciclista teve constatada uma fratura no cotovelo esquerdo e precisa se submeter a uma cirurgia, porém a avaliação feita pelos médicos do Huapa apontou que a mesma seria em caráter eletivo, como explicou em nota.

“Hoje (quarta) pela manhã, após passar por nova análise, foi diagnosticado que a paciente precisa passar por procedimento cirúrgico em caráter eletivo, sem necessidade de continuar em observação. Como cirurgias eletivas não são realizadas no Huapa, uma vez que o perfil de atendimento da unidade é de urgência e emergência, Márcia recebeu alta hospitalar e foi orientada a procurar o Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (Crof) em Goiânia, para ser regulada e aguardar liberação de vaga para a realização da cirurgia”, diz trecho da nota enviada pelo Huapa à reportagem do POPULAR.