Funcionários públicos, policiais, odontólogo, contador, vaqueiro, motoristas, administrador de empresa e até um pastor. O leque de profissões e atividades dos 29 atletas - 25 homens e 4 mulheres - que participarão da 27ª Caminhada Ecológica é diversificado. Eles representam pelo menos dez cidades.

Nos cinco dias de desafio - da largada (terça, dia 17, em Trindade) à chegada (sábado, no dia 21, em Aruanã) -, há interação entre eles. Laços de amizade, de vizinhança e da formação de equipes para treinos são criados pelos atletas. O convívio serve para perpetuar o legado.

Um exemplo é o de Bela Vista de Goiás. Três atletas representarão o município. Aposentado, Edécio Pontes de Oliveira chega à 9ª participação. Depois dele, o vaqueiro Abadio Marcelino Melo acompanhou Edécio e passou a marcar presença na Caminhada. Agora, é a vez de Diego Alves de Melo. Na preparação, treinaram juntos várias vezes.

“Nossa preparação foi boa. A preocupação foi fazer os treinos na cidade. Encontramos um espaço bom, com mais ou menos 5km para dar uma volta completa. Também treinei na GO-020 e acho que estou pronto”, disse Edécio Pontes, o mais velho atleta da Caminhada Ecológica.

Aos 67 anos, ele esbanja saúde. Viu a vida mudar após abandonar vícios, como bebidas alcoólicas e cigarros. “Fumei muito, por mais de 20 anos. Gostava também de tomar uma cachacinha”, relembrou Edécio, que espera deixar o legado, de atleta e ecologista, aos jovens. Ao decidir correr, percebeu a melhoria da saúde. Na Caminhada, passou a ver a vida pelo aspecto da defesa da natureza e Cerrado.

Assim, 45 anos separam Edécio Pontes do caçula da equipe, Pedro Lucas Pereira de Lima, representante de Araguapaz. Aos 22 anos, Pedro Lucas pega o bastão dos mais experientes, assim como Diego Alves, de 26 anos.

A Caminhada já incorporou, também, traços de religiosidade entre atletas. O policial militar Adaury Nonato Ramos, que fará 54 anos dia 24 de julho, é devoto do Divino Pai Eterno. Todos os anos, cumpre o ritual, de atleta e romeiro, de ir a pé até Trindade. Por isso, a cada seletiva ou durante a Caminhada Ecológica, é comum vê-lo rezando, agradecendo pela saúde e vida.