Atualizada às 18h08  de 20/06/2018

Elaborado pelo Conselho Federal de Nutricionistas (CFN), entrou em vigor o novo Código de Ética e de Conduta do Nutricionista. O documento, que é utilizado como baliza da atuação do profissional da nutrição, determina a proibição de imagem corporal de si mesmo ou de terceiros atribuindo resultados positivos da assistência nutricional a produtos, como as imagens de "antes e depois" comuns em propagandas, isso mesmo quando existir uma autorização expressa do paciente. 

"É vedado ao nutricionista, mesmo com autorização concedida por escrito, divulgar imagem corporal de si ou de terceiros, atribuindo resultados a produtos, equipamentos, técnicas, protocolos, pois podem não apresentar o mesmo resultado para todos e oferecer risco à saúde", orienta o documento aos profissionais.

Além disso, conforme o código, também é vedado ao profissional, na divulgação de informações ao público, "utilizar estratégias que possam gerar concorrência desleal ou prejuízos à população, tais como promover suas atividades profissionais com mensagens enganosas ou sensacionalistas e alegar exclusividade ou garantia dos resultados de produtos, serviços ou métodos terapêuticos".

A nutricionista gerente técnica do Conselho Federal de Nutricionistas da 1ª Região, Janaína Marques Baiocchi, explicou ao POPULAR que o profissional que utilizar esse tipo de imagem, de "antes e depois", por exemplo, estará sujeito a responder por um processo ético-disciplinar. “A infração é aplicada depois de abrir esse processo e após o julgamento. Dependendo do entendimento, pode desencadear em uma advertência, multa, suspensão ou o profissional pode até ter cassado o exercício da profissão”.