A Celg Geração e Transmissão (Celg GT) anunciou que a primeira das cinco torres de transmissão danificadas em um acidente na madrugada do dia 4 foi reerguida no fim da tarde desta sexta-feira (11), após passar por processo de recuperação. As estruturas, localizadas no Anel Viário, em Aparecida de Goiânia, foram avariadas por um veículo que colidiu contra o pé de uma delas, causando seu tombamento sobre a pista. As demais foram puxadas pelos cabos que as interconectavam.

Newsletter O POPULAR - Receba no seu e-mail informação de confiança

* preenchimento obrigatório

Segundo a Celg GT, a equipe da empresa continua trabalhando “em ritmo intenso” para concluir o reparo das demais torres. A previsão é que todo o processo esteja concluído até terça-feira (16). Paralelamente, o Departamento Jurídico da estatal goiana já está tomando as providências necessárias para cobrar dos responsáveis pelo acidente os prejuízos provocados ao erário.

Na época do acidente, no km 49 da BR-153, o diretor técnico-comercial da Celg GT, Augusto Francisco da Silva, declarou que o custo para a manutenção de cada torre deve ficar em torno de R$ 500 mil. “O valor estimado fica entre R$ 2 e R$ 3 milhões e compreende o prejuízo da recuperação e as multas que a Celg GT terá que pagar pela indisponibilidade no dia do acidente”, disse.

O Boletim de Acidente de Trânsito (BAT), da Polícia Rodoviária Federal (PRF) revela que, no momento do acidente, o motorista estava fazendo uso do celular e perdeu o controle do veículo. Ainda segundo o documento, o condutor não foi submetido ao teste do bafômetro no momento da colisão pois já teria sido socorrido por locais. O perímetro chegou a ser interditado das 4h da madrugada, horário em que houve o acidente, até o início da noite de quinta-feira, quando foi liberado.