Cidades

Moradores de Aparecida denunciam problemas e descaso após chuvas em local onde ônibus ficou ilhado

Avenida Copacabana, no setor Serra Dourada III, é palco de alagamentos há anos. Camionetes, caminhões e até carretas-cegonha têm dificuldade para atravessar a via com a quantidade de água

Higor Augusto
Motoristas e motociclistas têm dificuldades para passar pelo local, com lama e muitos buracos

O cenário na tarde desta sexta-feira (12) foi o mesmo de quase todos os dias de 2018 até aqui para os moradores e também para quem passa pela avenida Copacabana, no setor Serra Dourada III, em Aparecida de Goiânia. Veículos de todos os portes param e ficam ilhados durante as fortes chuvas que caem na região, o volume de água é tão grande que deixa marcas nos muros das residências e as bocas de lobo não suportam as enxurradas que descem das ruas adjacentes.

Newsletter O POPULAR - Receba no seu e-mail informação de confiança

* preenchimento obrigatório

De acordo com moradores, um ônibus da Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC) que fazia a linha 569 (Terminal Araguaia-Serra Dourada-Girassóis) não conseguiu passar pela água acumulada na via em seu trajeto de ida e ficou ilhado. Segundo o Corpo de Bombeiros, oito pessoas, entre elas algumas crianças, ficaram presas no veículo, que apagou. Elas foram resgatadas com o auxílio de viaturas da corporação e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Vizinho do local onde o ônibus emperrou, o pedreiro Deusdedith Alves Sena, de 54 anos, conta que não é primeira vez que isso acontece na região. Morador do bairro há 12 anos, ele diz que a água sempre ficava acumulada na via e dificultava a passagem de pedestres e veículos, mas com a criação de um shopping próximo à avenida, a quantidade de alagamentos aumentou. 

"Antigamente tinha terra ali (no local do shopping). A terra absorve a água. Agora eles colocaram concreto lá e não dá para drenar", diz. A qualidade das bocas de lobo e do asfalto recém-colocado pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia é deficitária para Deusdedith. "A galeria é muito falha. Não suporta escoar esse tanto de água que desce. A rua acabou piorando muito depois do asfalto", lamenta, observando carros e motos passarem pela via com lama e dezenas de buracos.

"A GENTE VAI TER QUE COMPRAR UMA CANOA"

A dona de casa Maria de Lourdes, de 49 anos, mora a 20 metros do local onde o ônibus ficou ilhado nesta sexta. Residente do setor Serra Dourada III há 42 anos, ela acompanhou a reportagem do POPULAR durante uma ronda pela região e alertou para as marcas deixadas pela água nos muros das casas, apontando para as pernas para indicar até onde chega a enxurrada.

Seu vizinho, o estudante Natanael Santos, que mudou-se para o local com a família há cerca de um mês também já foi vítima da quantidade de água que passa pela via. Uma piscina de aproximadamente 1,20m construída na casa onde mora estava vazia e ficou cheia após a descida da enxurrada de hoje. Em imagens no celular, ele mostra camionetes, caminhões e até uma carreta-cegonha com dificuldades para atravessar a avenida após o alagamento.

Dona Maria de Lourdes acredita que a construção de mais bocas de lobo nas ruas da região poderia reduzir a quantidade de estragos para os moradores da avenida, a última do bairro antes de uma mata. "Nos quarteirões acima, só existem duas (bocas de lobo) e uma está entupida com areia". Se tivessem mais, diminuiria a água da enxurrada para cá", afirma.

Reunida com o filho e os vizinhos na porta de casa, ela comenta sobre o caso desta sexta e relembra os vários outros ocorridos recentemente. Para evitar maiores riscos, dona Maria brinca ao apresentar uma solução. "Eu já falei: se ninguém vier fazer nada, a gente vai ter que comprar uma canoa e deixar por perto para entrar quando chover, porque vira uma represa".

O POPULAR entrou em contato com a Redemob Consórcio, ligada à Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), mas ainda não obteve resposta sobre o caso do veículo estragado.

Natanael Santos
Carreta-cegonha com dificuldades para atravessar a avenida alagada. Do lado direito, um caminhão não conseguiu passar pela água e emperrou
Higor Augusto
Boca de lobo aberta na via. Estrutura é considerada problemática pelos moradores da região
Higor Augusto
Buraco repleto de água no local onde o ônibus ficou emperrado, na avenida Copacabana, em Aparecida de Goiânia
Higor Augusto
Nem precisou gastar água: piscina de morador do bairro ficou cheia após forte chuva. Casa também apresentou alagamento
Higor Augusto
Marca escura em muro de residência mostra a altura da água durante enxurrada no setor Serra Dourada III
Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.