Fabiana Pulcineli

Marconi: "O relatório da CPI não citou a mim por absoluta falta de fatos"

Ao comentar o depoimento do senador Delcídio do Amaral sobre a CPI do caso Cachoeira, o governador Marconi Perillo (PSDB) disse que as declarações confirmam que a investigação era objeto de "armação e vingança política", mas afastou a tese de que foi favorecido com o enterro dos trabalhos.

"O relatório da CPI não citou a mim ou a membros do governo por absoluta falta de fatos que justificassem qualquer menção. O Conselho Superior do Ministério Público de Goiás arquivou, em dezembro de 2014, a denúncia contra mim", diz o governador.

Ele afirma ainda que o depoimento aponta a "verdade" sobre a tentativa de Lula de atingi-lo. "Eu sempre disse que estavam disseminando maldades, leviandades e mentiras, e que a verdade sempre prevalece. Aos poucos vamos mostrando ao lado de quem está a verdade. O senador Delcídio do Amaral confirma, em seu depoimento, que tudo não passou de mera perseguição política", afirmou.

Marconi disse ter ido à CPI para apresentar todas as explicações e provas, "sem fugir de nenhum tema". "À medida que o tempo passa, vamos comprovando tudo o que vínhamos falando, inclusive que a CPI era um objeto de vingança e de armação política contra o nosso projeto de governo", afirmou.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.
POR DATA