Se todos os goianos tivessem uma única carteira de identidade seria difícil definir que foto colocar no documento. O espaço poderia estar em branco. Identidades tradicionais já não existem, compõem-se pelos grupos que se agregam mais ou menos de uma mesma forma em muitos lugares. Hoje, as pessoas passaram a se definir por pertencer a tribos específicas e não a regiões geográficas, não se sentem presas a fronteiras que a globalização e a generosa circulação de informação trataram de suspender. Mas nessa carteira de identidade também poderiam estar muitas faces, rostos de várias cores, estampando marcas de tempos variados, múltiplos projetos, perfis diversos. 

Talvez aqui isso seja ainda mais visível. Ao longo de sua história, Goiás se caracterizou por abrigar diferenças, sendo construído sobre mesclas, fluxos migratórios, misturas e refletindo esses processos em seu povo, no jeito de sua gente agir, falar, se vestir, se alimentar. Ao longo do século 20 e neste início de século 21, O POPULAR acompanhou de perto tais fenômenos e hoje, dia em que completa 75 anos de existência, em parceria com o Observatório Pesquisa de Comportamento, apresenta neste caderno especial os resultados de pesquisa inédita sobre como é a cara do goiano e de que forma ele se enxerga atualmente. Trabalho que traz revelações interessantes. 
 
O goiano se vê hoje como uma junção entre origens agrárias, de raízes fincadas no meio rural, e a urbanização que trouxe a modernidade. Ele percebe uma evolução do Estado e de seus habitantes, inserção em ambientes mais cosmopolitas, melhor nível de instrução, confiança de que pode obter conquistas num admirável mundo novo, sem medo de enfrentar o futuro. 
 
Imagem mais moderna que fez o goiano romper com antigos complexos de inferioridade. Agora temos orgulho de ter nascido aqui. Amálgamas do antigo e do novo, que mantêm tradições e respeitam valores como simplicidade e hospitalidade, mas que ilustram evoluções. O caderno traz ainda um bate-papo com o cantor Leonardo, apontado pelos pesquisados como o melhor representante da simbiose entre a cara do goiano de ontem e a de hoje.