Em Meu Amigo Hindu, lançado em março de 2016, as lentes de Hector Babenco acompanharam um cineasta à beira da morte. Acometido por um grave câncer linfático, o protagonista deseja fazer um último filme e acaba embarcando num périplo entre a negação e a aceitação da finitude. A trama, última dirigida por Babenco, lançada quatro meses antes de sua morte, se conf...

Você se interessou por esta matéria?

Assinar O Popular

Você terá acesso ilimitado
a todo o conteúdo
VER PLANOS
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.

Comentários