Magazine

Quer conhecer o Papa? Saiba como participar das audiências

Os eventos são gratuitos e qualquer pessoa pode comparecer

Reprodução/ Catholicus

O Vaticano costuma fazer parte do roteiro de muitos turistas que passam por Roma, na Itália. Porém, nem todos sabem que é possível ver pessoalmente o papa Francisco, sem pagar nada por isso.

O líder católico faz duas aparições por semana ao público que visita o Vaticano. Aos domingos, às 12h locais, o Papa aparece na janela de seus aposentos, que dá vista para a Praça São Pedro, e faz a oração do "Angelus". Com duração de meia hora, a aparição é rápida e qualquer turista que esteja no Vaticano pode participar, sem adquirir ingressos ou realizar agendamentos. Porém, às quartas-feiras, Francisco faz uma missa completa e um sermão, chamado de uma "audiência geral". A celebração, que começa pontualmente às 10h de Roma e tem duração de cerca de 90 minutos, é o momento em que o Papa reflete sobre questões atuais que afetam a humanidade e a vida das pessoas.

Apesar de ser um evento público, só pode participar da audiência geral quem tem um convite emitido pela Prefeitura da Casa Pontifícia. Para adquiri-lo, é necessário preencher um formulário on-line ou enviar um fax, informando a data em que deseja estar no Vaticano e quantos bilhetes necessita. O retorno do pedido é sempre feito via correspondência. Porém, para conseguir garantir a vaga na audiência, é preciso solicitar os bilhetes com no mínimo três meses de antecedência.

O jornalista Murilo Tognato Ximenes, de 32 anos, esteve em uma dessas celebrações em março deste ano. "Eu mandei uma carta para o Vaticano e eles me retornaram com a aprovação uns dois meses antes da minha viagem, informando que eu poderia retirar os convites um dia antes da audiência, na terça-feira", afirmou. "Na carta, também estava escrito que, caso eu não pudesse pegar o convite um dia antes, poderia retirar ele no próprio dia da audiência", acrescentou.

As audiências geralmente acontecem na Praça São Pedro, mas isso não é uma regra. Questões meteorológicas, como frio e chuva, além de problemas logísticos podem fazer com que os eventos sejam remanejados para salas internas dos palácios do Vaticano. No entanto, independentemente da época do ano, o passo a passo para a solicitação de bilhetes permanece o mesmo.

Fernanda Torres Vieira, de 41 anos, já compareceu em duas audiências gerais. "Uma delas foi interna, com capacidade para aproximadamente seis mil pessoas, na Sala Paulo VI, e a outra foi externa, na Praça São Pedro, devido ao Jubileu Extraordinário", contou.

No dia da audiência, recomenda-se chegar com pelo menos duas horas de antecedência para evitar filas grandes. "A audiência estava marcada para às 10h. Eu cheguei lá às 7h e já tinha fila", disse Ximenes, que também elogiou a organização do local. "Eu não tenho do que reclamar. Todo mundo pegou fila, mas todo mundo entrou. O que eu vi é que, na parte de trás, tinham algumas pessoas em pé, mas tinha muito lugar, ninguém passou sufoco".

O Papa costuma percorrer de papamóvel a Praça São Pedro e trocar apertos de mão com o público. Porém, devido a questões de segurança do Vaticano, não é possível se aproximar muito durante o evento. "O corredor é largo, então não dá para encostar nele, mas os seguranças pegam algumas crianças e levam para ele abençoar", comentou Ximenes. "Todos amaram, a energia é indescritível. Acordamos bem cedo para estarmos em ótimas posições e adoramos", relatou Fernanda, que foi em uma das audiências acompanhada pela família.

Todas as audiências e missas no Vaticano são sempre gratuitas. Recentemente, ao saber que pessoas estavam vendendo bilhetes para as celebrações, o papa Francisco criticou o gesto e xingou as chamou de "aproveitadoras e delinquentes". Além disso, o Pontífice também pediu para que as pessoas ficassem atentas a esse tipo de cobrança indevida. "Aqui se visita sem pagar, porque esta é a casa de todos. Quem exige pagamento, comete um crime, esse homem ou essa mulher é delinquente, isso não se faz, entenderam?", criticou.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.