Magazine

Projeto Casa Fora de Casa promove encontros de ocupação no Setor Sul

Ações criativas divididas por quatro partes do Setor Sul discutem urbanismo e transformação da paisagem urbana durante os meses de julho, agosto e setembro, em Goiânia

Divulgação
Praça do Bacião - Divulgação.

Não se assuste se você estiver caminhando pelo Setor Sul e, de repente, se deparar com pessoas de diferentes bairros da cidade em oficinas de construção de mobiliários e intervenções urbanas, ou em mapeamentos de rotas e desenho livre. Trata-se do projeto ‘Casa Fora de Casa’, do estúdio Sobreurbana, que promove durante os meses de julho, agosto e setembro uma infinidade de ações colaborativas com foco na transformação da paisagem urbana, nos movimentos de ocupação de espaços públicos e na discussão sobre meio ambiente, áreas verdes e espaços criativos.

O projeto começa já no dia 23 de julho, na Praça Wilson Valente Chaves (Av. Cora Coralina). Durante as primeiras semanas haverá ainda oficinas de vídeo, educação patrimonial e serigrafia no Coletivo Centopeia. Ao longo de realização, o Casa Fora de Casa se estende por quatro áreas diferentes do Setor Sul, com ações e ideias criativas em praças e zonas verdes. Ao todo, o projeto percorrerá distintos pontos da região, desde a Praça Wilson Chaves, localizada na Avenida Cora Coralina, até o Bacião das Artes, próximo ao Bosque dos Pássaros.

Os trabalhos se dividem entre oficinas e encontros de mapeamento de rotas e execução de sinalização e construção de instrumentos musicais, oficinas artísticas e trabalho colaborativo. A proposta é que as áreas verdes do Setor Sul possam ser aproveitas ao máximo pelos moradores do bairro e da cidade. “O Casa Fora de Casa é um projeto de urbanismo tático porque busca, através de soluções criativas e de um processo participativo atuar sobre os espaços públicos da cidade, historicamente precarizados, no sentido de incentivar que a população se sinta responsável por eles”, aponta a coordenadora do projeto, a urbanista e arquiteta Carol Farias.

Setor Sul

Para esta primeira edição, as ações serão desenvolvidas nas áreas verdes do Setor Sul, que no plano inicial da cidade foram concebidos para ser o espaço vital do bairro, o que não aconteceu durante a sua implantação.

Toda uma agenda foi construída para valorizar e recuperar as áreas abandonadas. O foco é pensar a cidade não como um lugar de passagem, mas como um lugar de encontro. O Casa Fora de Casa se estende até o dia 25 de setembro, quando acontece a festa de encerramento do projeto. “Ao transformarmos o cidadão, a forma como olha e atua no seu bairro, estaremos a transformar a cidade. Pela sua especificidade, sua história, sua centralidade, o Setor Sul é um bairro muito especial e de enorme visibilidade”, reitera o produtor cultural André Gonçalves, também coordenador do projeto.

Acompanhe a programação no site www.casaforade.casa ou nas redes sociais @casaforadecasa

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.