Magazine

Projeto Casa Fora de Casa aporta em segunda praça do Setor Sul

Seguindo a programação projeto Casa Fora de Casa ocupa, no sábado, a Praça do Centro Cultural Martim Cererê, com o Encontro 01: Reconhecer e Criar

Divulgadação
Projeto Casa Fora de Casa ocupa, no sábado, a Praça do Centro Cultural Martim Cererê, no Setor Sul

As diferentes possibilidades do espaço urbano. O coletivo em prol de uma cidade de imersão. A rua como lugar de encontro. Dando continuidade à extensa programação do projeto Casa Fora de Casa, desenvolvido pelo estúdio Sobreurbana, no sábado acontece o Encontro 01: Reconhecer e Criar, na Praça do Centro Cultural Martim Cererê, com a proposta de se discutir urbanismo tático e ocupação das áreas verdes do Setor Sul, em Goiânia.

O objetivo deste encontro é recorrer a várias ferramentas e metodologias do urbanismo tático, do placemaking e do design thinking para desenvolver um diagnóstico da praça, ocupada quase sempre por skatistas ou moradores da região. Os resultados deste encontro servirão de base para as oficinas que acontecem na semana seguinte, no mesmo local. “O Urbanismo Tático representa uma forma diferente de fazer e pensar a cidade. Dá maior protagonismo ao cidadão e promove uma abordagem de baixo para cima ao invés da tradicional abordagem de cima para baixo onde as decisões são tomadas em gabinetes fechados”, aponta o coordenador do projeto, André Gonçalves.

Ao longo de realização, o Casa Fora de Casa se estende ainda por outras áreas do Setor Sul, com ações e ideias criativas em praças e zonas verdes. Ao todo, o projeto já percorreu a Praça Wilson Chaves, localizada na Avenida Cora Coralina, e ainda passará pelo Bacião das Artes, próximo ao Bosque dos Pássaros, e pela praça Fleury Curado. “O Setor Sul foi pensado para ser um bairro-jardim, com as suas extensas áreas verdes sendo o espaço vital, de encontro e deslocação. No entanto, muitas dessas áreas encontram-se abandonadas e marginalizadas”, reitera o produtor cultural.

Entenda o projeto

O Casa Fora de Casa é estruturado basicamente em dois eixos de ação. A proposta é dividir o projeto entre os encontros com a comunidade em quatros pontos da trama de áreas verdes do Setor Sul e as atividades paralelas no Coletivo Centopeia. Nas áreas verdes, os encontros obedecem a seguinte sequência: atividades para o reconhecimento das áreas e das pessoas, brainstorming de ideias para construir uma visão coletiva de futuro para esses espaços públicos, oficinas artísticas para a execução de ideias, festas para celebração do trabalho realizado e por fim, avaliação qualitativa de tudo o que for produzido.

“Ao longo da execução do projeto desenvolvemos atividades que recorrem do urbanismo tático, placemaking e design thinking para estimular o olhar crítico e criativo dos cidadãos. As oficinas de mobiliário urbano, intervenções urbanas com papel e com tecido, rotas e sinalização e construção de instrumentos musicais a partir de materiais reciclados vão servir para implementar algumas das ideias que surgirem nos encontros, mas também para capacitar os participantes de novos conhecimentos e linguagens artísticas”, explica Gonçalves.

O Casa Fora de Casa é idealizado pela Sobreurbana, que atua colaborativamente com diferentes profissionais que desejam transformar a cidade. É um laboratório de arquitetura pública, de comunicação e de promoção cultural para desenvolver ideias e soluções para a cidade, através de um processo participativo e multidisciplinar.

ANOTE

Casa Fora de Casa

Encontro 01: Reconhecer e Criar

Data: Sábado - 06 de agosto

Horário: 9h

Local: Praça do Centro Cultural Martim Cererê, Setor Sul

Inscrições: www.casaforade.casa

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.