Magazine

Feriado com reggae

Cidade Negra apresenta nesta sexta-feira em Goiânia show com repertório de clássicos da banda

Nana Moraes
O trio formado por Bino Farias, Toni Garrido e Lazão apresenta-se hoje na Festa Praynha Sunset, no Manakai

Quem decidiu não pegar a estrada no feriado de Tiradentes e ficar na capital, uma das opções para sair de casa é o show da banda de reggae Cidade Negra nesta sexta-feira, a partir das 16 horas, na Festa Praynha Sunset, no Manakai. Com Toni Garrido nos vocais, Bino Farias no baixo e Lazão na bateria, o grupo apresenta um repertório centrado nos grandes hits da carreira de quase 30 anos, como os clássicos Pensamento, Girassol, Onde Você Mora, A Estrada, Firmamento, A Sombra da Maldade, além da faixa inédita Batendo em Sua Porta.

A relação do Cidade Negra com Goiânia é antiga, desde o CD de estreia Lute Para Viver (1991) eles se apresentam sistematicamente na capital, na época ainda da primeira formação com Lazão, Bino, Da Gama (guitarras) e Ras Bernardo (vocais). Toni Garrido entrou em 1994 dando início a uma carreira bem sucedida da banda de reggae. “Nossa intenção é fazer um show histórico e cheio de positividade porque sempre fomos bem recebidos aí e vamos tentar retribuir à altura o carinho do público goiano com a gente”, comenta Lazão.

O último disco de inéditas dos regueiros pop foi lançado no final de 2012, Hei, Afro!, trabalho que marcou a volta de Toni Garrido aos vocais do Cidade Negra, depois de quatro anos de carreira solo - posto ocupado no período pelo cantor mineiro Alexandre Massau. A previsão é que o hiato seja encerrado em 2017 com um álbum que marca a nova fase da banda, que tem projetos audaciosos no ano, como a gravação de um CD em homenagem ao cantor Gilberto Gil, baseado no show no palco Sunset, em setembro, no Rock in Rio.

O repertório em homenagem a Gilberto Gil era um sonho antigo da banda carioca e que ficou na gaveta desde a época do CD Acústico MTV, de 2002, quando o artista baiano participou da música Extra. “Agora virou realidade e a ideia é gravar um álbum e depois sair em turnê. Falamos para o Gil que tínhamos a intenção de pegar as faixas dele e transformar em reggae. Ele ficou bastante entusiasmado com nossa proposta e disse que até faria uma letra para a gente tocar. Então, vamos escolher de 15 a 20 sucessos dele”, adianta Lazão.

A apresentação do grupo na cidade do rock contará com a fusão das batidas eletrônicas do coletivo de música Digital Dubs e seis sopros do Maestro Spok. Os regueiros já foram atração do Rock in Rio em outras edições. Em 2015, eles tocaram no Palco Mundo e, em 2011, no Sunset, com participações de Martinho da Vila e o rapper Emicida. O Cidade Negra está com o novo disco pronto, mas paralisou para se dedicar exclusivamente ao projeto Gil. “Estamos retornando com um repertório dedicado ao nosso guru musical e espiritual”, diz Lazão.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.