Cidades

MP-GO aguarda fim de inquérito

O chefe do Grupo Especial do Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP) do Ministério Público de Goiás (MP-GO), promotor Leandro Murata disse ao POPULAR que não poderia se manifestar ainda sobre a ação de policiais militares que culminaram com a morte do estudante Roberto Campos da Silva, de 16 anos, na casa da vítima, no Residencial Vale do Araguaia, na noite de segunda-feira. Três dias depois da invasão da casa e da morte do estudante, o promotor disse que vai aguardar o desfecho do inquérito da Polícia Civil e a distribuição dele para a promotoria, para saber se o promotor irá solicitar o apoio do GCEAP no caso.

Por meio de nota à imprensa, o MP-GO manifestou-se “a respeito das notícias veiculadas pela imprensa”, classificando o crime como “trágica morte do adolescente”, envolvendo a ação de policiais militares. “O Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP), com o apoio de outros Promotores de Justiça, foi designado para acompanhar o caso, bem como as investigações policiais, já tendo participado, inclusive, da realização da audiência de custódia dos policiais militares autuados em flagrante, oportunidade em que foi decretada judicialmente a prisão preventiva dos agentes públicos”, diz a nota.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.