Cidades

Manifestação em Goiânia pede intervenção militar

A solicitação foi acompanhada da música “Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores”, de Geraldo Vandré, um dos símbolos da resistência à ditadura militar

Marcello Dantas

Os manifestantes, que participam do protesto contra a corrupção em Goiânia na tarde deste domingo (26), pedem intervenção militar. A solicitação foi feita por meio de faixas.

Durante o pedido feito por participante do protesto, foi tocada a música “Pra Não Dizer Que Não Falei Das Flores”, de Geraldo Vandré, símbolo de resistência à ditadura militar.

A reforma da previdência, fim da anistia do caixa dois, do sigilo das delações da Lava Jato, prisão do ex-presidente Lula e outros petistas também estão na pauta de reivindicações.

O grupo tem declarado apoio ao juiz Sergio Moro, às investigações da Lava Jato e à Polícia Federal.

Os manifestantes se reuniram às 14 horas na Praça da Tamandaré e estão, agora, na porta da sede da Polícia Federal, no Setor Bela Vista. O protesto foi organizado por três movimentos, o “Vem Pra Rua”, o "Movimento Nas Ruas" e o "Movimento Brasil Livre Goiás". 

Inicialmente, os grupos contabilizavam mil participantes. A Polícia Militar (PM) havia estimado 300.  Diversas pessoas deixaram o ato durante o percurso, que foi acompanhado por policiais militares. 

Em nota, o "Vem Pra Rua" afirmou que "não apoia qualquer tipo de intervenção militar no Brasil" e que "se coloca radicalmente contra qualquer tipo de intervenção militar." 

"Durante a manifestação de 26/3, havia alguns manifestantes expressando-se a favor da pauta intervenção militar. Mas isso não significa que o movimento tenha adotado a pauta", completa o comunicado. 

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.