Cidades

Comandante-geral da PM é ameaçado

Cristina Cabral

O comandante-geral da Polícia Militar, coronel Divino Alves, foi ameaçado nas redes sociais depois que uma publicação falsa atribuiu a ele a agressão ao estudante universitário Mateus Ferreira da Silva, de 33 anos, durante a manifestação em Goiânia da greve geral contra as reformas da Previdência Social e trabalhista, na sexta-feira. O estudante foi agredido com um golpe de cassetete na cabeça pelo capitão Augusto Sampaio de Oliveira Neto, afastado do subcomando da 37ª Companhia Independente da Polícia Militar.

“Colocaram a cena da agressão dizendo que eu era o agressor. Só uma das postagens teve 24 mil compartilhamentos”, contou. Comentários nas redes sociais diziam que o coronel Alves deveria ser agredido da mesma forma que Mateus. Em outro, ameaçavam os filhos do comandante-geral, estudantes da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Ele pediu investigação a respeito das ameaças e pretende entrar com ação civil e criminal contra os autores. “Me senti péssimo. Trabalho direitinho há 32 anos na PM”, reclamou.

O coronel Alves determinou abertura de Inquérito Policial Militar contra o capitão para apurar a agressão contra o estudante. Depois de apurado o crime, que deve ser tipificado pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), a Corregedoria da PM vai instaurar o procedimento disciplinar contra o oficial, que será remanejado para outra função na corporação.

Comentários
Os comentários publicados aqui não representam a opinião do jornal e são de total responsabilidade de seus autores.